Mensagem do presidente

Mark Maloney

Presidente, 2019-20

Setembro de 2019

Aqui nos Estados Unidos, mais um verão está caminhando para o seu fim. Para a família Maloney, todo verão termina com uma visita à minha cidade natal, Ridgway, Illinois, para o festival anual do Dia da Pipoca, onde tenho a honra de servir como o “Rei da Pipoca”, fazendo o papel de mestre de cerimônias dos eventos.

Independentemente da estação do ano, cada família tem suas próprias tradições. Gostaria de sugerir uma para vocês: encontrem uma oportunidade de apresentar o Rotary à sua família. Uma das tradições da minha família é levar nossas filhas e netos à Convenção do Rotary International. A Convenção de 2020 em Honolulu será uma maneira maravilhosa de apresentar seus filhos e netos à internacionalidade do Rotary. Estamos planejando muitos eventos voltados à família para que todos possam aproveitar.

Qualquer momento é certo para apresentar levar pessoas da nossa família a conhecer um projeto rotário ou participar de uma campanha de arrecadação de fundos. Talvez você não tenha visto muitos eventos para a família oferecidos pelo seu clube. E é justamente por isso que uma das minhas principais prioridades este ano é fazer com que a maioria dos eventos do Rotary seja receptiva aos membros das nossas famílias.

Devemos promover uma cultura em que o Rotary não venha a competir com as famílias, mas sim complementá-las. Nunca devemos colocar os associados numa posição em que tenham quer escolher entre sua família e seu clube. Para tanto, devemos ser realistas em relação às nossas expectativas, atenciosos quanto à programação dos nossos clubes e acolhedores em relação às crianças e adolescentes que nos honram com sua presença em nossos eventos.

Muitas vezes, os jovens profissionais que o Rotary precisa atrair para continuar sendo dinâmico no século 21 são as mesmas pessoas que têm as maiores responsabilidades familiares. Não devemos manter esses jovens afastados das suas famílias realizando eventos à noite e nos fins de semana nos quais seus filhos não possam comparecer.

Por muito tempo, fechamos as portas de muitos eventos rotários para nossos filhos e netos, e até mesmo para os nossos cônjuges. Que oportunidades desperdiçadas são essas! Toda chance que temos de ofertar o presente do Rotary aos jovens é algo que devemos aproveitar para Fazer o Rotary Crescer e garantir que a próxima geração esteja totalmente engajada com o alcance da nossa Missão.

Portanto, vamos abrir nossas portas e fazê-lo de uma maneira divertida, com oportunidades que façam com que nossos filhos e netos queiram aprender mais sobre o Interact, Rotaract, RYLA e Rotary. Devemos começar aos poucos, talvez realizando algumas reuniões mais conducentes aos nossos familiares, para então expandir a sua participação no dia a dia rotário.

Levar crianças e adolescentes a eventos rotários não apenas faz bem para nós como as expõe ao mundo! Faça deste um ano memorável para sua família – e um ano inesquecível para a família rotária para que entre num ciclo de franca constante expansão, já que O Rotary Conecta o Mundo!


Agosto de 2019

Durante 2019-20, estarei incentivando rotarianos e rotaractianos a expandir o Rotary. Devemos aumentar a quantidade dos nossos serviços, o impacto dos nossos projetos, e, principalmente, a nossa base de associados para que possamos ir ainda mais longe.

Vamos tentar uma nova abordagem, mais organizada e estratégica. Peço a todos os clubes que formem uma Comissão de Desenvolvimento do Quadro Associativo, composta de pessoas com experiências diferentes, que examinem metodicamente as pessoas que exercem liderança localmente.

Esta comissão deverá aplicar o sistema de classificação do Rotary, criado para garantir que a gama de profissões da comunidade esteja bem representada, para identificar líderes potenciais com a habilidade, o talento e o caráter que fortalecerão o seu clube. Se a comissão não souber exatamente como proceder, basta consultar a lista de verificação da Comissão de Desenvolvimento do Quadro Associativo em Rotary.org.

Outra forma de aumentar nossa conexão para o crescimento do Rotary é formando novos tipos de clubes, sejam eles independentes ou satélites, com um cardápio variado de reuniões e oportunidades de voluntariado. Isto deve ser feito não apenas nos lugares onde o Rotary não tenha presença, como também nos lugares onde Rotary está prosperando. Nenhum Rotary Club do mundo pode atender todos os segmentos demográficos e preferências. Portanto, devemos organizar novos clubes para engajar os líderes comunitários que não conseguem se conectar com os clubes existentes.

Para o Rotary crescer, temos que fortalecer e multiplicar as conexões que distinguem a nossa organização. Neste ano rotário, iremos nos comprometer com o crescimento do Rotary e dar as boas-vindas à próxima geração de mulheres e homens que ajudarão o Rotary a Conectar o Mundo.


Julho de 2019

Adoro viajar! Eu até gosto de todo o processo antes de se chegar ao destino. Mas, no ano passado, minha esposa Gay e eu tivemos uma daquelas experiências que desanimariam até mesmo o viajante mais alegre e otimista. Estávamos lá, presos por seis horas num aeroporto que não estava na nossa programação, num dia em que não tínhamos planejado estar viajando, tendo acordado naquela manhã num hotel fora dos planos. Enfim, era um daqueles dias.

Enquanto esperávamos no Aeroporto Internacional John Kennedy, em Nova York, Gay e eu decidimos andar pelos arredores. Andamos de um extremo ao outro do terminal e voltamos, olhando cada portão, cada destino, cada grupo de pessoas esperando por seus voos.

Cada portão era sua própria ilha representando parte da humanidade. Quando caminhamos pela parte central do terminal era como estar em Nova York, navegando no grande rio lotado de gente do mundo inteiro. Mas, bastava sair dali e entrar na área de algum portão de embarque e a sensação era de estar em Nova Délhi, Paris ou Tel Aviv.

Quando começamos a caminhada pensei: "Tantas pessoas diferentes, de tantos países diferentes, todas reunidos no mesmo lugar. Isto é como o Rotary!". Mas conforme passávamos de um portão para outro percebi algo. Aquilo não era nada parecido com o Rotary. Porque todos que estavam na parte central do terminal, no grande rio, se dirigiam para a sua própria ilha, e cada ilha continuava a ser o que era: uma ilha. Quem ia para Taipé falava com os seus conterrâneos, mas não com as pessoas que iam para o Cairo ou Lagos.

Compare isso ao Rotary. O Rotary permite que nos conectemos uns com os outros, de maneira profunda e significativa, mesmo que tenhamos várias diferenças. Ele nos conecta com pessoas que nunca teríamos conhecido de outra forma, que são mais parecidas conosco do que jamais poderíamos ter imaginado. Ele nos conecta às nossas comunidades, às oportunidades profissionais e àqueles que precisam de nós.

A conexão é o que torna a experiência rotária tão especial comparada ao terminal do aeroporto JFK. No Rotary, nenhum de nós é uma ilha. Todos nós estamos juntos, seja lá quem formos, onde quer que estejamos, qual seja o idioma que falamos ou as tradições que seguimos. Estamos todos conectados uns com os outros, não apenas no clube e no lugar em que ele está inserido, mas também na comunidade global à qual todos nós pertencemos.

Esta conexão é o cerne do movimento rotário. É o que nos atrai ao Rotary e o que nos faz ficar. Junte-se aos seus companheiros rotarianos neste ano em que O Rotary Conecta o Mundo.