Mensagem do presidente

Barry Rassin

Presidente, 2018-19

Junho de 2019

Quando olho para trás e penso em tudo o que vivi e nas pessoas que conheci desde que me tornei presidente do Rotary International em julho passado, tenho mais certeza ainda de que a capacidade do Rotary de transformar vidas é inigualável. Nosso impacto vai muito além do que eu poderia imaginar quando entrei no Rotary.

Penso nos rotarianos que conheci no Paquistão, que fizeram parceria com a Coca-Cola para melhorar o saneamento nos bairros de Karachi e apoiar atividades de erradicação da pólio. Penso nos rotarianos porto-riquenhos que estão ajudando comunidades a reconstruir suas vidas após o furacão Maria. Penso nos rotaractianos alemães que estão trabalhando para salvar abelhas da extinção, insetos de importância vital para o nosso planeta. Penso nos seis rotarianos e rotaractianos que foram homenageados em novembro passado como Pessoas em Ação: Jovens Inovadores, no Dia do Rotary nas Nações Unidas, em Nairóbi, no Quênia.

Parece que ainda ontem eu estava no palco da Assembleia em San Diego e pedi que vocês fossem a inspiração nos seus clubes, nas suas comunidades e no mundo. Sua resposta foi uma verdadeira inspiração para mim. Vocês estão abrindo caminho para que os rotaractianos se tornem nossos futuros líderes, ajudando a fundar novos Rotaract Clubs e trabalhando para incluir rotaractianos em eventos e projetos rotários. Vocês estão trabalhando duro para erradicar a pólio, participando de quase 4.200 eventos em mais de 100 países no Dia Mundial de Combate à Pólio. E vocês estão realizando projetos transformadores que criarão mudanças duradouras local e internacionalmente.

Este ano, também vi como o trabalho do Rotary na construção da paz está dando frutos. Os 98 bolsistas atuais dos nossos Centros Rotary pela Paz logo se formarão, juntando-se aos vários ex-bolsistas destes Centros que já estão colaborando para um mundo em paz, aplicando suas habilidades na resolução de conflitos a problemas. Este mês, Esther e eu viajaremos a Hamburgo, na Alemanha, para a nossa Convenção, que reunirá gente de todas as raças, nacionalidades, religiões e vertentes políticas no objetivo comum de fazer deste um mundo melhor.

Ver o que o Rotary significa para as pessoas, para quem servirmos e para os próprios rotarianos aprofundou meu afeto e admiração por tudo o que o Rotary é e faz.

Em breve será a hora de Esther e eu voltarmos para Nassau. Quando chegarmos lá, olharei para o vasto mar que cerca nossa ilha, e isso me lembrará das possibilidades ilimitadas do Rotary, e do futuro maravilhoso que nos espera além do horizonte. Estou ansioso para velejar com vocês.


Maio de 2019

As pessoas que mais me conhecem – os membros da minha família – sabem muito bem que a minha paixão pelo Rotary é ilimitada. Elas também sabem que eu não espero o seu envolvimento com o Rotary da mesma maneira que eu. A escolha é de cada um. Mas devo admitir, não posso deixar de sorrir quando os vejo fazendo a escolha certa.

No final da Convenção de Toronto, no ano passado, minha neta de 12 anos se virou para mim e disse: "Estou inspirada para fazer algo. O que posso fazer?". Naturalmente, fiz o que qualquer avô rotariano que se preze faria: perguntei se havia um Interact Club na sua escola. Quando ela descobriu que não havia, ela tentou criar um. Infelizmente, o diretor da escola tinha outras ideias. Porém, não devemos ser impedidos de ajudar os programas pró-juventude do Rotary sempre que pudermos, porque seu valor é inquestionável.

Pegue os Prêmios de Liderança Juvenil do Rotary como um exemplo. Eles transformam jovens em indivíduos mais confiantes e focados, com uma melhor compreensão do mundo ao seu redor – mudanças que tive o prazer de presenciar em meu neto de 16 anos depois da sua participação.

Minha família é apenas o começo. Onde quer que eu vá, encontro pessoas de todas as idades cujas vidas foram mudadas pelos nossos programas para jovens. Eles me dizem como, há cinco, 15 ou 25 anos, o Intercâmbio de Jovens do Rotary os ensinou uma nova língua ou os apresentou a uma nova cultura. Seus olhos se iluminam quando falam sobre como o Intercâmbio de Serviços às Novas Gerações os ajudou a avançar em suas carreiras, ou sobre como a associação ao Rotaract despertou sua paixão por retribuir à comunidade.

Os programas do Rotary para jovens líderes são uma extensão dos nossos ideais de serviço, amizade e desenvolvimento de liderança que ultrapassam as portas dos nossos clubes e atingem centenas de milhares de jovens todos os anos. E quando servimos junto aos jovens, e para os jovens, como patrocinadores, parceiros do projeto e mentores, isso traz o que há de melhor em nós e no Rotary.

Maio é o Mês dos Serviços à Juventude, e há muitas maneiras pelas quais seu Rotary Club pode celebrar. Patrocine um Interact Club ou um Rotaract Club, e seu Rotary Club oferecerá aos jovens locais as ferramentas necessárias para agirem, para se tornarem líderes e obterem uma perspectiva global. Faça parceria com o seu Rotaract Club em algum projeto humanitário. Conheça os participantes dos programas do Rotary para jovens líderes e compartilhe suas histórias. Você encontrará mais ideias no folheto de Menção do Rotary deste ano, localizado na seção Prêmios, no Espaço do Associado, no my.rotary.org.

Este mês, Seja a Inspiração para os jovens líderes, orientando-os, engajando-os e trabalhando lado a lado em projetos significativos. É um investimento no futuro deles e no mundo em que eles viverão. É um trabalho que enriquecerá para sempre as suas e as nossas vidas.


Abril de 2019

A cada dois minutos, em algum lugar do mundo, uma mulher morre de causas que poderiam ser evitadas, relacionadas à gravidez e parto. E os bebês cujas mães morrem nas primeiras seis semanas de vida têm muito mais probabilidade de morrer do que aqueles cujas mães sobrevivem. Em minhas viagens pelo mundo como presidente do Rotary, encontrei famílias para as quais essas não são apenas estatísticas trágicas. Também encontrei pessoas que estão se dedicando a ajudar mães e filhos – e por causa delas, eu tenho esperança. E como muitas dessas pessoas são rotarianos, também tenho muito orgulho. Abril é o Mês da Saúde Materno-Infantil no Rotary, então é um ótimo momento para falar sobre coisas que fazemos nesta área.

Aproximadamente um ano atrás eu visitei um hospital na cidade de Jekabpils, na Letônia. É um hospital moderno, cujos médicos e enfermeiras são atenciosos, dedicados e competentes. Mas, apesar de seu trabalho árduo, a taxa de mortalidade materna continuava extremamente alta, devido a um fator que estava fora de seu controle: a falta de equipamentos vitais de diagnósticos e até de itens básicos como incubadoras.

E foi aí que o Rotary entrou. Vinte e um clubes de todo o mundo uniram forças em um Subsídio Global que forneceu o que o hospital precisava. Em setembro, quando entrei naquela ala da maternidade, vi equipamentos de última geração e encontrei pacientes que recebiam o cuidado necessário – que cada mãe e criança do mundo merecem ter.

No Brasil, os rotarianos trabalharam com companheiros do Japão em um projeto de Subsídio Global que aumentou drasticamente a capacidade de uma unidade de neonatal que estava superlotada. Novas incubadoras, monitores e outros equipamentos ajudam agora o hospital local a salvar mais bebês a cada ano.

E, na Mongólia, uma equipe de formação profissional da Nova Zelândia organizou um treinamento sobre técnicas emergenciais para médicos e parteiras. Também desenvolveu um programa que ensinou melhores práticas às parteiras e pesquisou e elaborou um manual didático sobre partos, respeitando a cultura local. Entre 2013, quando ocorreu a primeira visita da equipe à Mongólia, e 2017, a taxa de mortalidade neonatal no país caiu de 11,2 para 9,1 por 1.000 nascimentos, e a taxa de mortalidade materna também caiu.

É isso que quero dizer quando falo sobre serviço transformacional, e é o que os rotarianos fazem melhor. Por causa de nossas redes, de nossa presença nas comunidades, que nos permite enxergar o que é mais necessário, e de nossa expertise, que contempla inúmeras habilidades e profissões, conseguimos servir de uma maneira sem igual. E conseguimos Ser a Inspiração, à medida que ajudamos quem mais precisa de nós.


Março de 2019

Uma das coisas que mais gosto como presidente do Rotary International são as pessoas que acabo conhecendo. Grande parte do meu tempo é dedicada a viajar e visitar Rotary Clubs em todo o mundo. Receber as boas-vindas de rotarianos é algo muito especial. Mas devo confessar que nada é tão acolhedor como ser recebido por rotaractianos, jovens altamente comprometidos com os ideais do Rotary.

Numa viagem recente à Gana, visitei um distrito que tem cerca de 60 Rotaract Clubs. Porém, eles acham que este número é baixo. Assim, decidiram dobrar o número de clubes. Certamente eles vão ter sucesso nisso.

Os rotaractianos estão vacinando crianças contra a pólio. Estão doando sangue quando o estoque fica baixo. Estão instalando pias em escolas. Em resumo, eles se dedicam integralmente a um serviço transformador: implementar projetos que fazem uma diferença real na vida das pessoas.

Em Nakivale, Uganda, um Rotaract Club está fazendo a diferença em sua comunidade – um assentamento de refugiados. Esses jovens líderes estão transformando aquilo que outros podem ver como desvantagens em oportunidades para servir, desenvolvendo a comunidade e abrindo novas possibilidades para aqueles que mais necessitam.

Na Turquia, os rotaractianos estão visitando crianças em hospitais todas as quartas-feiras para animá-las. Também estão atuando como mentores de novos alunos em sua universidade e ensinando técnicas de liderança.

Rotaractianos estão preparando o caminho para que o Rotary seja mais relevante neste novo século. E a Semana Mundial do Rotaract, de 11 a 17 de março, é a oportunidade perfeita para conhecer e trabalhar com os rotaractianos da sua área. Se o seu Rotary Club ainda não patrocina um Rotaract Club, saiba que não é preciso estar perto de uma faculdade ou universidade. Rotaract Clubs com sede na comunidade são uma excelente opção.

Quando passam da idade para estar no Rotaract, não queremos que os rotaractianos abandonem a família rotária. Peço a todos os rotarianos que os ajudem a fazer a transição para um Rotary Club ou que abram um novo Rotary Club. Não tenho problema em termos mais clubes se o objetivo for proporcionar a todos um lugar no qual se sintam em casa. O ato de servir deve ser divertido, inspirador e agradar a todos os envolvidos.

Se há uma coisa na qual o Rotary sempre se destacou, é a diversidade. No passado, sempre abrigamos a diversidade de profissões, nacionalidades e perspectivas. Fizemos grandes avanços no que se refere à diversidade de idade e de gênero e, ao acolhermos mais rotaractianos em nossa organização, nos tornamos mais fortes.

O Rotary é poderoso. Junto com o Rotaract, ele se torna invencível no combate a tantas mazelas deste mundo. Trabalhando lado a lado, temos o potencial para Ser a Inspiração em todas as camadas sociais.


Fevereiro de 2019

Em minhas viagens no ano passado, visitei muitos clubes e distritos fortes e dinâmicos que estão transformando suas comunidades. Quando assisto às suas reuniões, posso sentir a energia. Quando conheço seus associados, vejo que são Pessoas em Ação. E, quando olho para suas comunidades, vejo o impacto do seu trabalho.

Também visitei comunidades com Rotary Clubs que não eram mais do que clubes sociais. Nunca deveria ser assim. Felizmente, há uma abordagem simples que, na minha opinião, pode ajudar a revitalizar qualquer clube.

Gostaria de desafiar todos os Rotary Clubs a fazerem pelo menos um projeto humanitário de alto impacto. Cada clube já tem o potencial e os recursos para que isso aconteça, e o poder de mudar as vidas das pessoas completamente.

Não é preciso ter milhões de dólares. Um dos projetos mais transformadores dos quais participei envolveu a entrega de um veículo da marca Jeep a um grupo de parteiras no Haiti. Quando perguntamos o que poderíamos fazer para ajudá-las, elas nos disseram que precisavam de uma maneira de chegar às mulheres grávidas de uma parte remota do país. Compramos o carro, pintamos de rosa e colocamos o logotipo do Rotary nele. Três anos depois, voltamos para acompanhar o andamento do projeto. As parteiras estavam entusiasmadas com os resultados: a taxa de mortalidade de mães e bebês daquela região havia caído em 50%.

Isso é o que chamo de serviço transformador.

Como nenhum veículo dura para sempre, após oito anos na estrada, não dava mais para usá-lo. Então, compramos um Land Cruiser rosa da Toyota, que ainda está na estrada, permitindo que as parteiras prestem atendimento pré-natal às mulheres daquela região remota.

O que torna um projeto transformador? Ele não precisa envolver muito dinheiro, mas tem que chegar às pessoas e ter um grande impacto na comunidade. Essa é a chave, e é aí que entra um planejamento cuidadoso e uma pesquisa detalhada. Então, faça a sua pesquisa, aproveite seus recursos e busque parcerias que possam aumentar seu impacto. E, depois disso, entre em ação.

É claro que o serviço é apenas parte do que um clube dinâmico deve oferecer. Ele também deve ter bons oradores, formar líderes, envolver o Rotaract e o Interact e agregar valor à associação, além de bons motivos para que todos participem dos eventos do Rotary.

Se seu clube for transformador e bem organizado, tudo o mais virá na sequência. Os associados ficarão envolvidos e novos associados ficarão ansiosos para se juntar a vocês. Será mais fácil arrecadar fundos, pois as pessoas adoram doar quando percebem como seu dinheiro está fazendo a diferença e quando sabem que a organização é responsável. Seu clube será dinâmico, relevante e ativo e será a inspiração para os associados e a comunidade que ele atende.


Janeiro de 2019

É difícil definir Serviços Profissionais, mas fácil de descrever: eles são simplesmente o ponto no qual nossa vida rotária e profissional se intersectam. Eles ocorrem quando colocamos os ideais rotários em prática por intermédio do nosso trabalho.

Quando retornei às Bahamas, depois de muitos anos trabalhando como gestor de assistência à saúde, percebi que o meu país necessitava imensamente de uma clínica médica moderna. Nossos recursos na época eram antigos e inadequados e as pessoas que não tinham condições de viajar ao exterior em busca de tratamento acabavam ficando sem a ajuda que precisavam. Sem a experiência que adquiri nos Estados Unidos, eu não poderia ter feito nada para mudar esta situação. No entanto, com o que aprendi eu estava em uma posição única para causar impacto. Eu estava ciente de que poderia usar a minha profissão para fazer o bem e aprimorar a assistência médica nas Bahamas.

Conforme o Rotary passou a fazer parte da minha jornada, descobri que as palavras de Paul Harris que se tornaram a base do Rotary — "esforços compartilhados não têm limites" — se aplicavam à minha profissão. Eu não poderia trazer assistência médica de qualidade às Bahamas sozinho. Foi através da colaboração com médicos, os quais tornaram-se meus sócios no Doctors Hospital, e com funcionários dedicados que trabalharam no hospital por anos, que conseguimos causar uma grande transformação. O meu objetivo tornou-se um objetivo compartilhado, que virou realidade.

O Rotary enfatiza a dignidade de toda vocação e o valor de cada chamado. Os quatro fundadores do Rotary não incluíam médicos ou pacificadores — apenas um advogado, um engenheiro de minas, um negociante de carvão e um proprietário de tipografia. Desde o início, a diversidade dessas vocações deu ao Rotary uma força especial. Essa diversidade se reflete em nosso sistema de classificação, que visa garantir que cada clube represente a gama de negócios e profissões que servem em cada comunidade.

Paul Harris disse: "Cada rotariano é o elo entre o idealismo do Rotary e seu ofício ou profissão". Isto era verdade quando ele dizia isso e deveria ser igualmente verdadeiro hoje. Nós só passamos uma ou duas horas por semana em nossas reuniões rotárias, mas a maioria de nós passa no trabalho a maior parte do seu tempo de vigília. Por meio do Rotary, essas horas também são uma oportunidade para servir: ter a chance de Ser a Inspiração para aqueles com quem trabalhamos, para os que trabalham para nós e para as comunidades que servimos.


Dezembro de 2018

É tradição que a primeira edição da revista rotária do novo ano rotário apresente um perfil do presidente eleito do RI e de sua família. Sempre li esses perfis com interesse, sem pensar muito na possibilidade de, um dia, eu ser a pessoa retratada em um desses perfis. Nunca gostei de muita atenção, e a ideia de ter minha foto na capa da revista me deixava um pouco desconfortável. Mas, quando vi a foto que os editores escolheram, eu sorri. Porque a estrela daquela foto definitivamente não sou eu, nem mesmo minha esposa Esther. É o bando de flamingos, totalmente indiferentes ao Rotary, e todos passando por nós seguindo a mesma direção. Todos, com exceção de um.

Não consegui pensar em uma imagem mais apropriada para refletir a mensagem que quero transmitir aos rotarianos. Aquele flamingo, indo na direção contrária, representa muito do que precisamos fazer no Rotary. Ele sabe que todos estão indo para um lado. Ele vê isso. Mas também vê que talvez o caminho em que estão não seja o melhor. Talvez, apenas talvez, haja um caminho melhor do outro lado, e ele queira dar uma boa conferida antes de seguir em frente com seus amigos. E se, após parar e olhar, esse novo caminho realmente parecer melhor, o flamingo chamará o restante do grupo para vir conferir com ele. E talvez, apenas talvez, todos os flamingos vão escolher o melhor caminho juntos.

Mudar é difícil. E, quanto mais tempo estamos percorrendo um caminho, quanto mais amigos temos conosco nessa caminhada, ficará mais difícil ser aquele que dá meia volta e faz de um jeito diferente. Mas a mudança — não por si só, mas uma mudança cuidadosa, planejada e com metas — é essencial para qualquer organização que queira evoluir, permanecer relevante e seguir em frente na direção certa.

Então, dê uma olhada naquela foto de novo, mas não olhe para mim. Aquela capa não é sobre mim. Aquela capa é sobre o flamingo. É sobre ter a curiosidade, a coragem e a convicção de olhar para caminhos diferentes que podem ser melhores, quer você esteja dando um passeio em uma bela manhã nas Bahamas ou ajudando a traçar o rumo de uma organização.


Novembro de 2018

Há mais de 30 anos, no início de junho, eu tinha uma viagem de negócios marcada para Las Vegas. Eu estava no Rotary por cerca de seis anos e me considerava um rotariano dinâmico: participei de todas as reuniões, trabalhei como secretário do clube, conheci todos no meu clube. Mas, para mim, o Rotary era uma organização essencialmente voltada às comunidades locais. Ele me ligou a Nassau e talvez até às Bahamas — mas não além disso.

Nunca pensei muito sobre o Rotary além das Bahamas, e jamais imaginei viajar para uma Convenção do Rotary. Mas naquela época, percebi que minha viagem a Las Vegas coincidiria com a Convenção e pensei: por que não? Enviei minha inscrição e paguei os honorários, sem suspeitar que a experiência mudaria minha vida.

Quando entrei pelas portas daquela Convenção, fiquei atordoado. Uma coisa era saber que fazia parte de uma organização global com mais de um milhão de associados em todo o mundo. Era algo totalmente diferente estar no meio dela. Fui a todas as plenárias, visitei todos os estandes da Casa da Amizade e aprendi sobre projetos que eu nem sabia que podiam ser feitos no Rotary. Aquela Convenção não apenas abriu meus olhos, mas também a minha mente. O evento me inspirou a mudar a maneira como eu via a organização, o que o Rotary podia fazer por mim e o que eu podia fazer através do Rotary. Essa inspiração permaneceu comigo desde então - e é renovada todos os anos, em todas as nossas Convenções.

Em junho de 2019, rotarianos de todo o mundo irão se reunir em Hamburgo para Capturar o Momento na 110ª Convenção do Rotary International. Muitos, como eu, vêm participando da Convenção há anos; muitos outros virão pela primeira vez. Queiram eles se conectar com velhos amigos, encontrar inspiração para um novo ano rotário ou simplesmente ver o que o Rotary é, cada um encontrará seu próprio momento em Hamburgo.

Hamburgo é uma cidade portuária que conecta a Alemanha ao mundo e há séculos destaca-se como centro econômico e cultural. É um lugar maravilhoso para visitar - para passear às margens do lago, fazer um passeio de barco no Rio Elba, jantar fora, ouvir boa música e explorar museus fascinantes. É também o local ideal para começar as férias na Europa.

Se você participa regularmente da Convenção, não vai querer abrir as amizades e a inspiração que encontrará em Hamburgo. E se nunca esteve em uma Convenção, considere este meu convite pessoal. Inscreva-se no site riconvention.org até 15 de dezembro para obter o melhor preço - e deixe que esta Convenção Seja a Inspiração para sua jornada rotária.


Outubro de 2018

Toda quinta-feira de manhã, recebo um e-mail da Organização Mundial da Saúde com uma atualização sobre o status da erradicação da pólio. Ele contém muitas informações, separadas por país, sobre onde e como as campanhas de imunização estão sendo conduzidas, quantos milhões de crianças estão sendo vacinadas e onde a vigilância ambiental encontrou evidências de vírus circulante. Mas, toda quinta-feira, quando esse e-mail aparece na minha caixa de entrada, meu coração parece parar por uns instantes até eu ler as primeiras linhas e saber se uma criança ficou paralisada pelo vírus selvagem dessa doença naquela semana.

Este é o ponto em que nos encontramos hoje no trabalho de erradicação da pólio. A pergunta na minha mente quando abro esse e-mail não é quantos milhares de casos (ou até mesmo quantas centenas) poderemos ver em um ano, como víamos não faz muito tempo. Em vez disso, a única pergunta que ele responde é se houve um novo caso nesta semana ou não.

Trinta anos atrás, 1.000 crianças ficavam paralisadas pela pólio todos os dias. Desde então, marcamos nosso progresso, ano a ano, semana a semana. Nós comemoramos quando cada país, cada região era declarada livre da doença. À medida que nos aproximávamos da nossa meta, e o número de casos diminuía cada vez mais, as crianças que esses números refletem se tornaram cada vez menos abstratas. Quando abro esse e-mail, não me pergunto que número verei, mas sim se uma criança ficou paralisada ou não na semana.

Estamos tão próximos da erradicação — mas ainda há muito trabalho a fazer.

Neste mês, peço a todos os Rotary Clubs que apoiem a campanha Elimine a Pólio Agora, celebrando o Dia Mundial de Combate à Pólio em 24 de outubro. No ano passado, milhares de Rotary Clubs de todo o mundo realizaram eventos para conscientizar sobre a erradicação da doença e arrecadar fundos para a campanha. Neste ano, queremos ver mais eventos do que nunca registrados nesse dia. Se você tem um evento planejado, registre-o e promova-o no site endpolio.org para que mais pessoas participem. Se ainda não planejou um evento, ainda dá tempo. Acesse o site endpolio.org para encontrar ideias, informações sobre a transmissão ao vivo deste ano e recursos para ajudar seu clube a organizar um evento de sucesso.

O Dia Mundial de Combate à Pólio é uma oportunidade enorme para os clubes colocarem em destaque nossa organização e nosso trabalho histórico para erradicar essa doença. É também uma ótima maneira de aproveitar o desafio da Fundação Bill e Melinda Gates: para cada dólar que o Rotary arrecadar para a erradicação da pólio, a Fundação Gates doará mais dois. Junte-se a mim e a rotarianos de todo o mundo no dia 24 de outubro, e Seja a Inspiração para um mundo livre da pólio.


Setembro de 2018

Imagine se pudéssemos tirar uma foto registrando todo o trabalho que o Rotary faz em determinado dia. Ninguém - exceto rotarianos - acreditaria que uma única organização fosse capaz de realizar tanto. Nessa foto, você veria voluntários dedicados trabalhando para erradicar a pólio, estabelecendo microempréstimos, fornecendo água potável, orientando jovens e outras inúmeras ações.

Podemos fazer tudo isso devido ao nosso alcance geográfico e o fato de que nossos clubes são formados por pessoas engajadas em suas comunidades. Ao fazer parte da comunidade, você conhece as necessidades, tem os contatos e pode agir imediatamente. É por isso que todos os associados do Rotary devem representar a diversidade de sua cidade.

Fizemos grandes progressos nesse aspecto. No Egito, na Indonésia e no Quênia, as mulheres representam quase 50% do quadro associativo do Rotary. Também estamos ampliando a diversidade da faixa etária em nossos clubes. Em cada uma das nossas comunidades, jovens profissionais estão procurando oportunidades para contribuir com seus talentos, retribuir à sociedade e aprender com mentores. Vamos compartilhar com eles o que o Rotary é. O kit para engajamento de jovens profissionais no Rotary.org tem um plano de ação para ajudá-los a alcançar jovens líderes e alumni em sua área.

Outro recurso que pode nos ajudar a ter melhor representatividade em nossas comunidades – um recurso que é global como nós, e que tem 250 mil associados notáveis e já compartilha nossos valores de serviço e liderança - é o Rotaract. Os rotaractianos são nossos parceiros: junte-se a eles em projetos, peça-lhes que falem em seus eventos e convide-os a participar do seu clube. Rotaractianos dedicados em todo o mundo estão se tornando associados do Rotary e até mesmo iniciando novos Rotary Clubs, ao mesmo tempo em que permanecem no Rotaract.

O mundo precisa do Rotary, e o Rotary precisa de clubes sólidos e associados engajados para continuar a fazer o bem em escala cada vez maior. É nossa responsabilidade garantir que todas as pessoas que demonstram interesse em se juntar à nossa organização sejam convidadas a se associar. Acesse o nosso site e use a ferramenta on-line para indicar candidatos à associação, que ajuda pessoas interessadas em ingressar no Rotary a se conectar a um clube que se adeque a elas. Vamos garantir que todos os associados tenham motivos para permanecer nos clubes. Ao construir clubes sólidos que se engajem em projetos significativos e se divertem durante o processo, nós fornecemos valores aos nossos associados que eles não podem encontrar em nenhum outro lugar.

Não vamos manter a história do Rotary somente entre nós. Convidem para se juntar a nós líderes de todas as idades - homens e mulheres – que estejam procurando uma maneira de retribuir às suas comunidades. Sejam a Inspiração em sua comunidade e ajudem o Rotary a continuar fazendo o bem no mundo.


Agosto de 2018

Há quem diga que para transformarmos o mundo, devemos começar amando nossa família. Isso não significa que possamos ignorar as necessidades dos outros, mas, sim, que devemos prestar atenção às nossas necessidades interiores.

Nossa prioridade é a prestação de serviços, então, pode ser tentador focar apenas em projetos, planejamento, trabalhos que produzem um benefício visível para quem precisa. No entanto, para que isso realmente produza resultados, precisamos manter nossa própria casa em ordem. No Rotary, isso significa viver de acordo com os princípios rotários, tratar outros com respeito e seguir A Prova Quádrupla. Significa maximizar nosso impacto, planejando cuidadosamente e administrando nossos recursos com sabedoria. Também significa cuidar da saúde no longo prazo de nossa organização, garantindo que nosso quadro associativo seja forte, engajado e saudável.

Há 20 anos que o nosso quadro associativo está estancado na casa do 1,2 milhão de associados. Não estamos crescendo e nosso quadro associativo está envelhecendo. Temos muitos clubes que não têm conhecimento nem motivação para causar impacto: clubes que não sabem o que estamos fazendo globalmente, clubes que não conhecem nossos programas nem a nossa Fundação, que sequer sabem como se envolver. E com um quadro associativo que ainda é majoritariamente masculino, claramente não estamos fazendo o suficiente para nos tornarmos a organização escolhida pelas mulheres que querem prestar serviços.

Somos, antes de mais nada, uma organização de voluntários. Para atingir os objetivos que definimos para nós mesmos, precisamos colocar o quadro associativo em primeiro lugar. Todos nós temos a responsabilidade de levar o quadro associativo a sério, não apenas convidando associados em potencial, mas também garantindo que novos associados sejam bem recebidos e aproveitados nos clubes. Se você perceber que alguém parece estar perdido ao chegar a um evento, certifique-se de que esta pessoa tenha um lugar para se sentar e seja incluída na conversa. Se você é entusiasta de um programa rotário, certifique-se de que seu clube esteja informado e saiba como se envolver. Se identificar uma necessidade em sua comunidade, traga o assunto para a reunião da semana. Se quisermos fazer parte de uma organização forte, ativa, que causa impacto, devemos começar tudo isso em casa e Ser a Inspiração no Rotary.


Julho de 2018

Há um ano, o Conselho Diretor do Rotary International adotou uma nova declaração de visão, refletindo nossas aspirações para a organização e seu futuro. A declaração é a seguinte: "Juntos, vemos um mundo onde as pessoas se unem e entram em ação para causar mudanças duradouras em si mesmas, nas suas comunidades e no mundo todo."

Essa frase simples mostra muito do que é essencial no Rotary. Nós nos unimos porque sabemos que somos muito mais fortes juntos do que sozinhos. Entramos em ação porque não somos sonhadores, mas sim agentes de transformação. Trabalhamos para criar mudanças sustentáveis que perdurarão por muito tempo, em todo o mundo e em nossas comunidades, mesmo quando não estivermos mais envolvidos. E talvez o mais importante, trabalhamos para criar mudanças em nós mesmos – construindo um mundo melhor à nossa volta e nos tornando pessoas melhores.

Uma frase atribuída ao escritor francês Antoine de Saint-Exupéry diz: "Se você quiser construir um navio, não chame as pessoas para juntar madeira ou atribua-lhes tarefas e trabalho, mas, simm ensine-os a desejar a infinita imensidão do oceano." Cada um de nós veio ao Rotary porque tinha um desejo – causar um impacto, fazer a diferença, ser parte de algo maior que nós mesmos. Esse desejo, essa visão de um mundo melhor e nosso papel em criá-lo é o que nos impulsiona no Rotary. Foi por isso que nos associamos; é isso que nos motiva a servir; e é o que me levou a escolher nosso lema para este ano do Rotary: Seja a Inspiração.

Quero que o Rotary Seja a Inspiração para nossas comunidades realizando um trabalho com impacto transformador. Está na hora de avançarmos, de eliminarmos as barreiras que nos atrapalham. Vamos facilitar os ajustes em nossos clubes ou abrir novos clubes que atendam às necessidades atuais e reais. Vamos trabalhar para fortalecer o Rotaract e a transição tranquila de rotaractianos para o Rotary. Vamos dar a todos os rotarianos a flexibilidade para servir da maneira que lhes seja melhor, para que todo rotariano encontre valores duradouros na sua associação com o Rotary.

O serviço verdadeiramente sustentável, o tipo de serviço pelo qual nos esforçamos no Rotary, significa enxergar tudo que fazemos como parte de uma escala global. Este ano, peço que cada um de vocês Seja a Inspiração para o serviço sustentável, analisando o impacto das questões ambientais em nosso trabalho. O meio ambiente tem um papel fundamental em todas as nossas seis áreas de enfoque e esse papel está se tornando cada vez maior conforme o impacto das mudanças climáticas se faz sentir. Está na hora de deixar de ver o meio ambiente como algo separado das seis áreas. Ar, água e solo são essenciais para comunidades sadias – e essenciais para o futuro melhor e mais saudável pelo qual nos empenhamos em conquistar.

Seja a Inspiração – e juntos, poderemos inspirar o mundo.